Seguranças de Zema prendem criminosos suspeitos de matar jovem no Aeroporto de Brasília

Vítima trabalhava em um locadora de veículos e fugia de uma disputa de gangues rivais de Padre Bernardo, no Entorno do DF

Nesta terça-feira (2), quatro policiais militares de Minas Gerais, atuando como seguranças pessoais do governador Romeu Zema (Novo), prenderam dois criminosos acusados de assassinar João Henrique Moreira Bastos, de 28 anos, próximo ao Aeroporto Internacional de Brasília. O homicídio, presenciado pelos PMs, ocorreu em plena luz do dia, em frente ao Centro de Treinamento da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), quando João foi alvejado por pelo menos oito disparos enquanto aguardava em uma parada de ônibus.

A vítima, que trabalhava em uma locadora de veículos, foi surpreendida por Paulo Henrique Alves dos Santos e Almir Ferreira dos Santos, que chegaram de moto ao local e abriram fogo. João Henrique havia se mudado recentemente para Brasília para escapar de gangues rivais de Padre Bernardo, região do Entorno do DF, e conseguira um emprego como lavador de carros na empresa de aluguel de veículos próxima ao local do crime.

Testemunhas relataram que os criminosos aguardavam a saída de João do trabalho. Um funcionário de um posto de gasolina próximo ao local contou que viu os homens em uma moto, com um deles vestindo um casaco vermelho. No momento dos disparos, as pessoas que aguardavam na parada de ônibus correram assustadas. João Henrique tentou fugir, mas foi perseguido e atingido várias vezes, com ferimentos na nuca, no topo da cabeça, no supercílio, na orelha, no ombro e na coluna.

Os quatro policiais de Minas Gerais estavam à paisana e em duas viaturas descaracterizadas. Ao presenciarem o crime, decidiram agir, dando ordem de parada aos criminosos em fuga. Durante a perseguição, Paulo Henrique, de 22 anos, apontou uma arma em direção aos policiais, que revidaram, atingindo-o no pé. Ele foi posteriormente socorrido pelos bombeiros. Almir Ferreira foi preso em flagrante e levado à 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul), que investiga o caso.

Em depoimento, Almir confessou o crime, alegando que João Henrique havia assassinado seu irmão há sete anos na Bahia, motivo pelo qual decidiu se vingar. O delegado-chefe da 10ª DP, Anderson Espíndola, confirmou que ambos os suspeitos têm antecedentes criminais e que responderão por homicídio qualificado. João Henrique, embora não tenha ficha criminal no Distrito Federal, tinha passagens por tráfico de drogas e receptação na Justiça de Goiás. Devido a essas informações, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) trabalha com a hipótese de vingança.

Tags

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram