MPDFT investiga suposto contrato superfaturado de secretaria do DF

Inquérito civil investiga possíveis irregularidades nos repasses de R$ 138 milhões à empresa Praxis Pesquisa

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) deu início a um inquérito civil para apurar supostas irregularidades nos repasses de R$ 138 milhões da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedet) à empresa Praxis Pesquisa, Desenvolvimento e Educação. Está sob escrutínio as discrepâncias entre o número de matrículas registradas e a efetiva participação nos cursos profissionalizantes oferecidos. Além disso, há indícios de superfaturamento do serviço oferecido pela entidade ao governo local. A abertura do inquérito ocorreu após uma solicitação do deputado distrital Chico Vigilante (PT), que também acionou o Ministério Público de Contas (MPC-DF) e a Polícia Civil (PCDF) para investigar o contrato.

Entre os investigados está Thales Mendes, secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, indicado político de Robério Negreiros (PSD) e Rafael Prudente (MDB-DF). O secretário foi o responsável pela assinatura do contrato com a Praxis em 2022, representada por Andreia Nunes do Espírito Santo, que é sócia-diretora da empresa. Andreia é parceira de negócios de Godofredo Gonçalves Filho, empresário envolvido em contratos que somam mais de R$ 164 milhões com diversas pastas do Executivo local, todas na mira das investigações.

Desde 2022, conforme dados da Sedet, aproximadamente 60 mil pessoas participaram dos cursos do Qualifica-DF, representando cerca de 3% da população de 15 a 64 anos do Distrito Federal. No primeiro semestre de 2024, as turmas contavam com 12 mil alunos, e há previsão de abrir mais 12 mil vagas.

Tags

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram