“Lama no ventilador”: a montanha pariu um rato

Família Arruda e Paulo Octávio trabalham para derrubar Ibaneis Rocha

Por Mino Pedrosa

A traição marcada pelo casal Arruda e o candidato ao governo do Distrito Federal pelo PSD, Paulo Octávio, ao governador emedesbista Ibaneis Rocha no eventual segundo turno das eleições de 2022 foi antecipada pela derrubada do registro da candidatura de José Roberto Arruda à Câmara dos Deputados.

O coordenador da campanha do casal Arruda e de Paulo Octávio, e presidente regional do Patriotas, Fábio Simão, deflagrou um ardiloso ataque que fez o passado bater à porta de Ibaneis.

Fábio Simão, presidente regional do Patriotas com José Roberto Arruda durante filiação da professora Maria Antonia.

Em 2018 o articulador político e coordenador da campanha da então candidata ao Buriti, Eliana Pedrosa, em disputa com Ibaneis, preparou um dossiê para ser usado as vésperas da eleição, divulgando uma história de relacionamento homoafetivo entre Fernando Leão e o candidato Ibaneis Rocha.

Simão comprou a peso de ouro o depoimento de Fernando prometendo uma logística, garantindo a integridade do rapaz. A coordenação da campanha de Eliana recrutou dois coronéis da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), Ferrari e Renato e outros policiais, também da PMDF, para a preservação de Fernando, enquanto apresentaria o caso no último debate da corrida pela principal cadeira do Palácio do Buriti.

 

Durante a apuração do caso, a tal “bala de prata” tão falada no núcleo duro da campanha de Eliana fez acender o alerta vermelho, dando pista para uma investigação que, após ser concluída, chegou às mãos da vítima à época, Ibaneis Rocha.
O antídoto usado para evitar a exploração nos programas eleitorais foi o fato de militares do DF terem sido demandados para trabalho em outro estado, no caso, em Goiás. Outro fator foi a compra do depoimento de Fernando, pago pela coordenação da campanha de Eliana.

A polícia chegou no hotel onde Fernando Leão estava hospedado sob os cuidados da campanha de Eliana e de um coronel da PMDF, mas, minutos antes, Leão foi informado e fugiu do local. O rastro deixado pelos algozes de Ibaneis abasteceram a abertura de um inquérito policial que posteriormente chegou às mãos do Ministério Público.

Com Ibaneis Rocha já eleito, os rivais perderam o interesse na história, mas guardaram o material para ser usado nas eleições de 2022. Já neste pleito, Fábio Simão se tornou coordenador das campanhas do casal Arruda, levando debaixo do braço o tal dossiê e os cuidados de Fernando, já que a conduta dos dois se assemelham.

Arruda desiste da candidatura ao GDF e jura lealdade e apoio a Ibaneis, mas, na verdade, articula a candidatura de Paulo Octávio ao Buriti, coordenada por Fábio Simão. O grupo trabalha para um segundo turno onde Arruda iria desembarcar da campanha de Ibaneis para apoiar P.O.

Logo após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ceifar a candidatura de Arruda, a confraria dos entendidos articulou um ataque rasteiro divulgando um vídeo onde Fernando Leão diz ter no passado um caso homoafetivo com o então advogado, Ibaneis Rocha.

Os “entendidos” no assunto, Paulo Octávio, Arruda e Fábio Simão tentam buscar em Ibaneis Rocha uma fragilidade para levar a disputa ao segundo turno.

 

Há cerca de vinte dias, a redação do Fatos Online recebeu vários pedidos para divulgar uma matéria fazendo com que o passado batesse à porta do candidato Ibaneis Rocha. Fabiola, como atende Fábio Simão na intimidade de Paulo Octávio, também conhecido como merenda, espera o desgaste de Ibaneis na tentativa de alavancar a candidatura de P.O. rumo ao Palácio do Buriti.

As matérias publicadas revelando os adultérios cometidos por Flávia Arruda com a conivência passiva do marido levaram a candidata Damares Alves a ultrapassá-la, usando um discurso conservador tendo a família como base.

O Instagram de Fernando anunciava a ardilosa trama. Ele postou uma fotografia revelando a nudez após uma cirurgia bariátrica, culminando com uma poesia direcionada a Ibaneis.

Tudo isso faz parte de uma trama programada para eclodir após o dia 02 de outubro, já contando com um possível segundo turno, mas a experiência aponta que a montanha pariu um rato. Após o vídeo divulgado com o depoimento de Fernando Leão revelando o caso, a coordenação da campanha de Ibaneis reage denunciando que o vídeo trata-se de fake news.

Tags

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram