Dono de concessionária é preso após “sumir” com 200 veículos

Após fechar duas lojas no DF de forma abrupta, deixando funcionários e clientes no prejuízo, o empresário fugiu do DF

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu Jorge Torres Rodrigues, dono da revendedora Torres Multimarcas, após ele fechar sua agência de veículos na Cidade do Automóvel, no Guará, e desaparecer com cerca de 200 carros. O empresário, apelidado de “Mágico dos Carros”, teria faturado R$ 2,5 milhões com o sumiço dos veículos.

A operação, batizada de Conexão Babilônia, foi deflagrada pela 8ª Delegacia de Polícia (Estrutural) após a identificação de mais de 70 vítimas. Os criminosos estavam escondidos no Piauí, em Goiás e no Distrito Federal. Durante a operação, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreendidos seis veículos em posse dos líderes do grupo. Os carros pertenciam às vítimas e estavam prestes a ser revendidos para encobrir os rastros dos crimes.

Jorge Torres foi encontrado em Inhuma, uma pequena cidade no Piauí com cerca de 15 mil habitantes. Além das prisões, a Polícia Civil obteve uma ordem judicial para a indisponibilidade dos bens e o bloqueio das contas bancárias de todos os investigados, totalizando R$ 2,5 milhões. “Esta medida visa garantir a reparação financeira às vítimas e impedir que o grupo criminoso utilize os recursos obtidos de forma ilícita”, explicou o delegado Rodrigo Carbone, responsável pela investigação.

Dezenas de vítimas que haviam deixado os veículos sob consignação na Torres Multimarcas não receberam o dinheiro e desconhecem o paradeiro dos automóveis. A revendedora, com fachada imponente e duas lojas – uma na Cidade do Automóvel e outra em Santa Maria – aparentava ser uma empresa sólida e de sucesso, inclusive nas redes sociais. Alguns clientes, confiando nas promessas de vendas rápidas, chegaram a deixar até cinco veículos para revenda simultaneamente, mas nenhum foi recuperado ou pago. Após fechar as duas lojas de forma abrupta, deixando funcionários e clientes no prejuízo, Jorge Torres fugiu do DF.

O delegado Carbone ressaltou que as investigações têm por objetivo garantir a reparação dos danos sofridos pelas vítimas. “Queremos restabelecer a ordem econômica local e a credibilidade do mercado automobilístico em relação aos empresários que atuam corretamente”, afirmou.

As autoridades continuam trabalhando para assegurar que todas as vítimas recebam a devida compensação e que os responsáveis pelos crimes sejam devidamente punidos.

Tags

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram