Confira os gastos dos deputados da CLDF durante um mês

Verbas indenizatórias são fixadas em até 60% do subsídio recebido pelos deputados distritais, o que representa R$ 19.838,83

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) divulgou os valores gastos por cada parlamentar com verbas indenizatórias em abril. No mês em questão, os deputados distritais Roosevelt Vilela (PL) e Max Maciel (Psol) foram os que menos fizeram uso do benefício, com um gasto de R$ 4.564,85 e R$ 4.528,63, respectivamente. Além disso, não foram registrados gastos dos deputados Eduardo Pedrosa (UB), Jorge Viana (PT) e Wellington Luiz (MDB). Já os deputados que chegaram próximo ao teto estabelecido para o auxílio foram os parlamentares Thiago Manzoni (PL) e Pedro Paulo de Oliveira – Pepa (PP), com R$ 19.803,83 e R$ 17.686,00, respectivamente.

De acordo com a CLDF, a  “verba indenizatória são os recursos que o Poder Legislativo repassa para custear os trabalhos dos gabinetes parlamentares”. O valor é fixado em até 60% do subsídio recebido pelos deputados distritais, o que representa R$ 19.838,83. Ou seja, é um valor dado além do “salário” pago aos deputados e com o intuito de fomentar as atividades dos parlamentares ligadas ao exercício da função, como o pagamento de alugueis de escritórios e de veículos; combustível; divulgações e participações em eventos; e viagens. Além desse valor, os distritais ainda dispõem de uma verba exclusiva para o pagamento de assessores. Atualmente, existem 1.241 cargos comissionados na CLDF, dos quais 872 são de pessoas que não possuem contrato efetivo com a administração pública, ou seja, não são concursadas.

Confira abaixo a destinação dos gastos com verbas indenizatórias pagas aos 24 deputados distritais:

30,89% Aluguel de veículos;

25,25% Divulgação parlamentar;

13,96% Consultoria especializada,

13,89% Aluguel de imóveis,

9,22% Combustível e lubrificante automotivo;

6,45% Consultoria jurídica;

0,33% Máquinas e equipamentos.

Ranking de gastos no mês de abril:

Thiago Manzoni (PL) – R$ 19.803,83

Pedro Paulo de Oliveira – Pepa (PP) – R$ 17.686,00

Marcos Martins Machado (Republicanos) – R$ 17.448,23

Iolando Almeida (MDB) – R$ 17.302,41

Gabriel Magno (PT) – R$ 17.247,18

Dayse Amarilio (PSB) – R$ 16.222,54

Chico Vigilante (PT) – R$ 15.793,20

Hermeto (MDB) – R$ 15.626,68

Doutora Jane (MDB) – R$ 14.458,34

Joaquim Roriz Neto (PL) – R$ 13.779,43

Daniel Donizet (MDB) – R$ 13.255,88

Rogério Morro da Cruz (PRD) – R$ 12.887,98

Ricardo Vale (PT) – R$ 12.499,99

Paula Belmonte (Cidadania) – R$ 11.800,00

Jaqueline Silva (MDB) – R$ 11.251,62

Robério Negreiros (PSD) – R$ 10.438,37

Pastor Daniel de Castro (PP) – R$ 10.435,50

Fábio Félix (Psol) – R$ 9.714,38

João Cardoso (Avante) – R$ 8.031,43

Roosevelt Vilela (PL) – R$ 4.564,85

Max Maciel (Psol) – R$ 4.528,63

Eduardo Pedrosa (UB) – R$ 0

Jorge Viana (PT) – R$ 0

Wellington Luiz (MDB) – R$ 0

Atualmente, o subsídio de um deputado distrital é fixado em R$ 33.006,39. Além disso, eles têm direito ao auxílio pré-escolar (R$ 1.071,04), ao auxílio alimentação (R$ 1.683,88) e ao auxílio natalidade (R$ 1.412,00).

Tags

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram